No dia 20 de novembro, o Brasil celebra o dia da Consciência Negra. A data foi escolhida em homenagem ao Líder do Quilombo dos Palmares, Zumbi, símbolo de resistência contra os constantes ataques portugueses. Mas, depois de uma invasão em 1694, no principal núcleo de resistência, a Aldeia do Macaco, Zumbi ficou ferido e fugiu. E foi no dia 20 de novembro do ano seguinte, que ele foi localizado pelas tropas portuguesas. Zumbi então foi preso e morto, para acabar com os boatos de que o líder quilombola era imortal.

Imagem

Foto : Salete Maso

Diversos eventos irão marcar as comemorações  do dia  da Consciência Negra na capital baiana. As ações realizadas por instituições públicas, privadas e pela sociedade civil, com o objetivo de congregar e destacar a mobilização pela reafirmação da identidade da comunidade negra na Bahia.

 

Veja  alguns eventos programados para o dia de hoje:

A União de Negros pela Igualdade (Unegro) e o Instituto Quilombista realizam a Lavagem da Estátua de Zumbi dos Palmares, na Praça da Sé (Centro), às 15h. Além de cobrar políticas públicas contra a desigualdade racial, a ideia é apoiar as famílias da comunidade Quilombo dos Macacos, no limite entre as cidades de Simões Filho e Salvador. Também às 15h, o Fórum de Endidades Negras inicia, na sede do  (Curuzu), a 12ª Caminhada da Liberdade.

A marcha vai até o Pelourinho e segue com o tema Copa de 2014 e a Negritude Brasileira: Reparação Já. O Centro Municipal de Arte, Cultura e Educação Epifânia Silva, no IAPI, realiza, até quinta-feira, o projeto Educação Não Tem Cor. A programação conta com brincadeiras, exposição de fotos, apresentação de dança afro, vídeos, culinária africana, discussão das leis antirracismo, interpretação de música e palestra sobre anemia falciforme, doença com grande incidência em negros.

Mesmo com aulas suspensas, escolas municipais rendem homenagens ao dia. A Escola Maria Quitéria inicia atividades às 9h30 e a Novo Marotinho tem apresentações a partir das 19h. 

Ilha – Escolas de lha de Maré realizam a Caminhada da Consciência Negra, a partir das 9h. Na Escola Municipal de Pau Miúdo, o projeto Identidade e Ancestralidade conta com dança afro, desfile do casal Beleza Negra e discussão da Lei Maria da Penha.

O Movimento de Cultura Popular do Subúrbio promove o cortejo Obás e Oyó: Reis e Rainhas da Terra Fortalecendo a Liberdade, com saída às 8h, em São João do Cabrito (Rua do Gelo), até o Parque São Bartolomeu. A Unijorge realiza, às 14h, uma oficina sobre culinária afro-baiana, com a chef Elíbia Portela, no laboratório de gastronomia.

Fonte: Jornal A Tarde

Anúncios